IBD-DOENÇA INFLAMATÓRIA INTESTINAL

26-10-2011 22:15

 

A IBD (Intestinal Bowel Disease) ou doença inflamatória intestinal caracteriza-se por uma infiltração crónica de células inflamatórias na parede do intestino e do estômago. Essa infiltração, a médio-longo prazo, causa uma alteração no tecido normal da parede desses orgãos, substituindo-o por tecido fibroso ou cicatricial. Pode ocorrer tanto em cães como em gatos.

A IBD pode atingir cães e gatos
 
As causas da IBD podem ser variadas. Acredita-se que haja uma predisposição genética de cada animal individualmente. Contudo, outros factores como a nutrição, determinados agentes infecciosos e alterações no próprio sistema imunitário do animal podem favorecer o aparecimento da IBD. 
 
Os sintomas mais frequentes de IBD são:

  • vómitos: mais frequentes quando o estômago e a parte inicial do intestino delgado estão mais afectados;
  • diarreia que pode ter sangue e/ou muco: mais frequente quando existe um envolvimento do cólon (intestino grosso)
  • perda de peso;
  • aumento da frequência de defecação;
  • febre, perda de apetite e prostração nos casos mais graves.
Quanto ao diagnóstico, a única forma de obtermos um diagnóstico definitivo de IBD é através da biópsia, obtida através de técnicas não-invasivas como a endoscopia e a colonoscopia ou através de cirurgia com laparotomia exploratória. Em qualquer uma das técnicas, o objectivo é recolher um pedaço dos orgãos envolvidos para análise histopatológica e confirmação da IBD. Se não conseguirmos fazer uma biópsia, devemos então fazer um diagnóstico por exclusão, eliminando todas as outras causas de vómitos e diarreias crónicas nos nossos animais.
 
O tratamento da IBD começa por uma alteração na dieta alimentar do animal. Existem dietas específicas para este tipo de problemas - as dietas hipoalergénicas e as dietas gastro-intestinais são as mais utilizadas. Seja qual for a dieta que use, é fundamental que o seu animal não ingira mais nada além da dieta. Dar-lhe um biscoito que não seja parte da sua dieta pode significar uma regressão significativa no tratamento do animal. Na maior parte dos casos, usamos também medicamentos imunossupressores que diminuem o número de células inflamatórias que se encontram na parede gastro-intestinal. Quando o animal está numa fase activa da IBD podemos associar antibióticos para diminuir o sobrecrescimento bacteriano que habitualmente acontece num intestino doente. Ácidos gordos, probióticos, vitamina B são algumas das suplementações que estes animais podem também ter.
 
A IBD é uma condição que não tem cura; podemos tratá-la e reduzir os sintomas mas não a conseguimos fazer desaparecer. O animal deve ser acompanhado regularmente pelo seu médico veterinário assistente e, acima de tudo, devemos ter o máximo cuidado com o que ele ingere - o que nos pode parecer insignificante em termos de extras pode significar um agravamento acentuado dos sintomas.